segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

A Paciência e a Tolerância


Hoje venho aqui falar-vos de um tema muito sensível neste tempos que correm. Eu ainda não me identifiquei e por isso começo por o fazer. Eu sou a Mestra NADA e venho falar-vos hoje da Paciência.

Como o meu nome indica, nada significa todo o Potencial ainda não realizado e se ele não está realizado, é porque ainda não se transformou numa obra de criação, mas para que a obra seja perfeita precisam de cocriar com Deus.

No entanto todas as obras Divinas não se compadecem com uma dimensão que bem conhecem e que é típica dos seres humanos – o tempo. Para vós, seres humanos, até parece que o tempo vos falta. Para Deus, neste plano, o tempo não conta. Verdadeiramente o tempo não existe. Vocês não são capazes de perceber, de conceptualizar e envolverem-se sem a dimensão do tempo. Só há uma forma, uma fórmula mágica de começar a aceitar a não variável tempo na vossa vida.

Chama-se a fórmula da: Paciência de que vos falarei mais à frente.  

Vão ter de ter paciência convosco mesmo, com as vossas imperfeições, com os vossos erros, com as vossas ausências, com as vossas dores, com as vossas tristezas, enfim poderia enumerar milhares e milhares de situações para as quais a paciência é a melhor virtude, das diversas virtudes que a alma humana pode adquirir.

Mas poderão dizer-nos que: “Não!. A minha energia não se coaduna com ter paciência” . Pois então saibam que aqui neste plano, como o tempo não existe, a paciência é infinita e por isso existe também a Misericórdia Divina, cuja dimensão é também infinita. E isto é o resultado da Paciência e da Tolerância.

Mas agora poderão perguntar-me: “A Paciência tem limites?”.

Tudo tem limites, até o Universo que vos parece infinito tem limites. Por isso a paciência também tem limites, mas quanto mais abrangentes forem esses limites, quanto mais distante eles forem, mais o vosso Ser pode manifestar-se, com elegância, com doçura, com Amor, com sabedoria e esta é a vantagem principal de serem pacientes. Esta é a lição que este momento energético vos traz com maior profundidade e a primeira das paciências e das tolerâncias que têm de ter é convosco.

Ser tolerante cujo pressuposto é ser paciente, não é a mesma coisa que ser distante e muito menos será ser indiferente. A paciência traz a capacidade de ouvir, de observar e a sublime capacidade de viverem no “Aqui e Agora” sempre que precisarem. A paciência traz-vos a calma, devolve-vos a autoestima e o amor próprio que se desgasta quando se irritam e enervam convosco próprios, nomeadamente com as vossas incapacidades, com o vosso “não fazer” ou muitas vezes “não saber fazer”, perante o erro que surja, ou ainda, perante outras situações que se vos deparam no vosso caminho.

Tudo quanto resolverem com paciência e tolerância irão verificar que se aplicará a perfeição Divina. Isto significa que a perfeição Divina só se obtém com paciência que é um dos seus principais atributos.

É curioso e provavelmente nunca fizeram esta ligação. O que é a Paciência?

É aquilo que resulta da aplicação de dois grande conceitos ou se quiserem atributos da Alma Humana. A primeira é a PAZ e a outra é a Ciência, que aqui significa sabedoria.

Paz + Ciência = Paciência.

Assim se obtém a Paciência.

É com muita paciência que gostava que lidassem convosco e com todos aqueles que estão à vossa volta, sem se irritarem, sem permitirem que o vosso Ego expluda em várias formas emocionais exuberantes. Usem a sabedoria para olharem para todas as coisas e usem a Ciência para realizarem tudo aquilo que tiverem de fazer e vivam em PAZ.

Agora resta-me agradecer-vos a vossa paciência em me ouvir e ler.

Até á próxima!

Canalização da Mestra NADA pela (A Mónada)  

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

AMOR DE MÃE


Como explicar
o que é o amor de Mãe                             
sabemos que é amar                              
e perdoar também.                              
                                          
Também é calor
no aconchego do colinho
quando sentimos a dor
com a falta do miminho.
                                             
Miminho de Mãe é bondade
no seu olhar protector
gostamos de sentir a verdade
do seu imenso Amor.
                                            
Amor de perdão
vê-se na gentileza
ao nos dar a sua mão
para mostrar a sua firmeza.
                                                
Firmeza na doçura
que necessitamos receber
para enfrentarmos a aventura
que um dia vamos ter.
                                               
Ter a certeza
que este Amor não tem fim
Amor de Mãe é pureza
ela merece o nosso SIM.
                                                  
SIM no receber e dar
qualquer Mãe fica poderosa
por ensinar o seu filho a amar
e fazer dela uma Mãe orgulhosa.
                                                   
Orgulhosa e com satisfação
em saborear o Amor de Mãe
é com vontade e gratidão
em seguir os seus passos também

ROSA

domingo, 3 de dezembro de 2017

PROPÓSITO


Todos os seres humanos têm uma razão de existir… tal como nos relógios não existem peças sobresselentes assim no Universo todos têm o seu papel no equilíbrio e evolução da Consciência Universal. Deus, o “relojoeiro” do Universo, não criou peças sobresselentes.

A pergunta que nos devemos fazer em cada momento é: qual é o nosso papel neste planeta, no país e na sociedade? Qual é afinal o nosso propósito?

Todos nós ao encarnarmos, escolhemos o que viemos aprender e fazer nesta vida. Este é o propósito da nossa vida e para superarmos as nossas “lições”, viemos dotados de determinados dons ou apetências, a que a psicologia tradicional lhes chama de características intrínsecas inatas.

Isto justifica por exemplo que Mozart aos 4 anos já compusesse música, o que não é uma competência normal para uma criança dessa idade. Justifica que cada um de nós sinta interesse ou apetência sobre determinadas áreas de conhecimento, e que mais rapidamente que os demais, desenvolva os seus talentos ao serviço da sociedade onde se integra.

Na maioria das pessoas estes dons que se materializam em talento, estão mesclados em função das diversas componentes de aprendizagem que viemos realizar. Por isso, por causa da ilusão do mundo das formas e das necessidades do nosso Ego, alteramos os nossos caminhos o que acaba por provocar imensa desorientação, acabando por acontecer diversas situações adversas tais como: despromoções, despedimentos, doenças súbitas, etc..

Se lhe disserem que a doença é uma fatalidade, desengane-se porque não é. Ela é a consequência de bloqueios energéticos continuados, decorrentes de emoções reprimidas e bloqueadas. Quando o ser não se encontra alinhado no seu propósito a sua energia tende a bloquear entrando em estagnação, acabando por atrair para a sua vida todas estas situações adversas.

Estas são normalmente precedidas por diversos avisos que teimamos em ignorar, pois estando na nossa zona de conforto somos incapazes de mudar. Quando elas acontecem e temos forma de sair delas, elas acabam por se tornar numa bênção, pois foram elas que nos tiraram da zona de conforto, fazendo com que busquemos de novo o nosso propósito, aprendendo e evoluindo mais rapidamente do que antes.

Neste mundo atual são imensas as pessoas desalinhadas e desfocadas do seu propósito, atraídas pelo poder, pelo dinheiro, pelo estatuto social, pelas inúmeras distrações impostas por uma sociedade dominada pelo consumo e pela necessidade de individualismo e de reconhecimento social, a que vulgarmente chamamos de sucesso e fama.

Porém, para a nossa alma, isto nada importa, apenas lhe interessa o que for necessário ao nosso desenvolvimento espiritual, que tem de estar de acordo com os desígnios Divinos. No campo subtil do nosso espírito, tudo está e é perfeito em cada momento, mesmo que aos olhos do homem perdido e desorientado pareça ser uma grande adversidade.

Alguns agora perguntarão: como é que poderemos encontrar afinal o nosso propósito?

A resposta passa por percorrermos o caminho em direção à nossa alma, através do auto-conhecimento e meditação. Sabendo que toda a evolução passa pelo aprender o AMOR resta-nos conhecer os atributos da alma que são: a doçura, a elegância e a candura. A alma não conhece nem o espaço nem tempo.

Assim, tudo o que nos provoque: o esquecimento do espaço e do tempo, o sentir dos atributos da alma e uma enorme dedicação, inevitavelmente serão tarefas que nos conduzem ao nosso propósito e à plena realização da nossa missão terrena.

Percorram por isso o caminho do auto-conhecimento sem demora, para poderem reencontrar-se com o vosso propósito Maior.

Sintam então a enorme felicidade e as bênçãos que tal vos trará.

Fiquem bem…

(A Mónada)

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Desperta


Pensa na vontade de mudar
de seres tu
por isso
murmura
hei-de vencer.

Se for necessário
grita
faz-te ouvir
impõe a tua presença
mesmo no silêncio.

Sente a vida mexer
a dança das palavras
que por vezes são melódicas
outras são contraditórias
mas existe a lógica
sente a vivência das pessoas.

Aprende
a seguir o caminho
sente a música da alma
é tão fácil a União.

Caminha até encontrares
a mistura da verdade, do querer
do despertar e da alegria
e aí sim
vais saborear
o prazer e a beleza de viver.

ROSA

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Quem não Pede, não ouve a Deus

Pedir a quem? A Deus? Aos Anjos? Ao Mestre?

Diz o velho ditado popular: Quem não Pede, não ouve a Deus...

Pedir a Deus é o mesmo que decretar para nós mesmos que queremos que algo nos aconteça e que desejamos que tal se manifeste num dado momento. Assumir a responsabilidade e as consequências, das nossas escolhas bem como destes nossos pedidos, é algo que também temos de aprender.

Cada um de nós é Deus manifestando-se na matéria.


Aceitem isso de uma vez!!!

Assumam isso!!!.

Só assim conseguem ver-se livres da ilusão de que o acaso acontece e de que tem de existir um culpado para todo o mal que nos aflige.

Pedir no entanto pode dar-nos a doce ilusão de liberdade, uma vez que nos parece isentar da responsabilidade desse mesmo acto, ao transferir para Deus a tarefa de nos conceder o que lhe estamos a pedir. Não sei se esses pedidos assim realizados têm o eco desejado.

O que vos posso dizer é que eles terão muito mais impacto se forem sentidos, visualizados e amados a partir do nosso Ser mais profundo. A
í nesse terreno sagrado onde a Paz e o Amor incondicional imperam, nesse enorme Campo de LUZ, ao plantarmos as sementes do desejo, elas atingem uma escala Cósmica encontrando um solo fértil para germinar e rapidamente crescer e multiplicar-se, pois aí estão no imenso Campo Unificado da Consciência Universal onde tudo está interligado e tudo é UM só. Aí as sincronicidades acontecem sem haver nenhuma dependência do espaço e do tempo.

Pedir assim é algo extremamente poderoso.

Se o que pedimos estiver alinhado com os desígnios maiores da nossa alma e no que dela depender, então estou certo, que ele se realizará, pois toda a energia do Universo irá assumir uma dinâmica muito própria para que tal aconteça. Nessa altura olhamos para o que nos foi concedido e achamos que foi um Milagre.

Há quem diga que para que esse Milagre aconteça é necessária muita fé. De facto assim é!

Então, perguntarão alguns, porque é que o meu desejo não se realiza se tenho fé?

É que ter fé não é simplesmente acreditar pois isso não passa de uma crença, e é muito pouco neste processo. Ter fé é ter a certeza que o nosso desejo será atendido, tudo acontecendo pelo melhor, mesmo que não se venha a concretizar.


É sentirmo-nos gratos e abençoados em todas as circunstâncias.
É entregar e confiar.
É estar perfeitamente ligados e sintonizados com a dinâmica UNA da Consciência e Energia Universal.

Por isso pedir... pedir... é mesmo muito importante que o façamos... mas com esta consciência:

Pedir a Deus, é AMAR e co-criar com ELE.


Peçam... Peçam sempre... Ao vosso Anjo! Ao Mestre! À Hierarquia que vos acompanha!

Mas peçam sempre com o vosso coração transbordando de AMOR.


Fiquem bem...

(A Mónada)

domingo, 19 de novembro de 2017

Sentir da Alma

Chega a uma altura da nossa vida e da nossa caminhada que não podemos mais deixar de fazer o que a nossa alma sente. Esse impulso essa intuição... o mistério do ser...

Como reconhecer o que alma nos diz? Bastará apenas meditar e sentir naqueles momentos tão nirvanicos e tão mágicos? Talvez fosse assim se pudéssemos estar sempre nesse espaço tão doce, terno e cândido que nós temos. Mas não é assim porque se fosse, não estaríamos na fisicalidade, estaríamos na reunião com o TODO em AMOR incondicional.

Estamos aqui e agora para vivenciar em co-criação o amor. Para aprender em cada acção, emoção e pensamento a SER esse Amor e só o conseguimos através do sentir da alma.

Tu podes por exemplo pensar que queres ficar calado mas se a tua alma assim o escolher pode-te levar a falar, a falar, a falar... sem muitas vezes teres consciência do porquê...

Que estranha esta nossa alma que faz com que nos coloquemos como observadores do nosso pensamento e nessa qualidade de observadores, sentir o que afinal é bom para nós.

Não se esqueçam que para sentir a alma temos de acalmar o pensamento, domar a mente e as emoções, e sentir a subtileza daquele momento de vacuidade tão repleta de AMOR ardente.

Assim, inebriados pelo AMOR e pelo sentir da Alma, transcendemos a nossa própria existência e ficamos em contacto com DEUS.


Perante isso quem ousa refrear-nos pela indignidade do controlo, dos julgamentos e da acusação de sermos pecadores?

Quem ousa mais dizer que “Eu não sou digno”? Quando nele habita esta capacidade imensa de AMAR e que o liga a DEUS, porque só DEUS ama assim.

Respeitar o sentir da Alma é a porta para a Ascensão..

Sintam o imenso AMOR que há dentro de cada um de vós.

Fiquem bem.

(A Mónada)